Para que um programa de computador seja considerado um software livre, é necessário que seus usuários tenham garantidas as quatro liberdades essenciais.

 

Mas o que são as 4 liberdades essenciais?

Segundo a própria Free Software Foundation, essas liberdades são:

Liberdade 0:

A liberdade de executar o programa como você desejar, para qualquer propósito.

 

Liberdade 1:

A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo às suas necessidades. Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito.

 

Liberdade 2:

A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possa ajudar outros.

 

Liberdade 3:

A liberdade de distribuir cópias de suas versões modificadas a outros. Desta forma, você pode dar a toda comunidade a chance de beneficiar de suas mudanças. Para tanto, acesso ao código-fonte é um pré-requisito.

Um programa é software livre se, e somente se, ele dá aos usuários todas essas liberdades de forma adequada. A fundação ainda aponta que vários softwares se denominam livres sem cumprirem todas as 4 liberdades, e os denomina antiéticos.

“Em qualquer cenário, essas liberdades devem ser aplicadas em qualquer código do qual planejamos fazer uso, ou que levamos outros a fazer uso. Por exemplo, considere um programa A que automaticamente inicia um programa B para lidar com alguns casos. Se nós planejamos distribuir A como está, isso significa que usuários precisarão de B, de forma que nós precisamos julgar se tanto A quanto B são livres. Porém, se nós planejamos modificar A de forma que ele não use B, apenas A precisa ser livre; B não é pertinente àquele planejamento.”

 

Ou seja, se um software depende de partes de outro, ou outros, todos eles devem seguir as 4 liberdades, sem reservas.

A FSF ainda salienta: ” “Software livre” não significa “não comercial”. Um programa livre deve estar disponível para uso comercial, desenvolvimento comercial e distribuição comercial. Desenvolvimento comercial de software livre deixou de ser incomum; tais software livre comerciais são muito importantes. Você pode ter pago dinheiro por suas cópias de software livre, ou você pode tê-las obtido a custo zero, mas independentemente de como você conseguiu suas cópias, você sempre deve ter a liberdade para copiar e mudar o software, ou mesmo para vender cópias.”

 

É muito interessante saber como funciona esse universo do software livre, pois em geral é uma comunidade muito amigável e sedenta por conhecimento, que se ajuda para construir um ecossistema cada vez maior e diverso.

 

Fonte: O que é software livre? | Projeto GNU | FSF